26/04/2015

Encontro em Silves


No dia 18 de Abril foi o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios. Era dia de agenda preenchida nos Urban Sketchers Portugal. Como ia em trabalho ao Algarve, aproveitei a oportunidade de passar um dia em Silves para a conhecer na perspectiva do desenhador.


Cheguei ao princípio da tarde, mas já se desenhava desde a manhã, principalmente à volta da ponte sobre o Arade e na encosta sul do burgo histórico de Silves, entre o rio e o castelo. Um par de dançarinos e um fotógrafo apareceram na praça das portas da vila para uma sessão fotográfica e foi uma variação gira de tema de desenho.


A característica mais visível dos monumentos e das fortificações da cidade é a pedra vermelha de que está revestida. As pedras das muralhas e do castelo cobrem um núcleo de taipa que torna as muralhas de Silves um caso de estudo de durabilidade da construção de terra crua. Fica à interpretação dos historiadores se as muralhas eram históricamente caiadas ou não, mas o contraste cromático entre a pedra vermelha e a cal branca das casas constrói a atmosfera de Silves.


A cidade tem o seu próprio Museu Arqueológico, expondo peças que vem desde o paleolítico, passando pela ocupação Romana e a Ibéria Islâmica, a reconquista Cristã, culminando em algumas peças de cerâmica do séc. XVI e XVII. Então, a cidade já tinha perdido a sua importância como centro estratégico no sudoeste da Península, em parte porque o caudal do Arade já não permitia a navegação e porque a reconquista já tinha acabado e o país estava virado para o mar.


Nenhum encontro de Urban Sketchers fica completo sem alegre patuscada, comezaina e bate-papo. Fiquei encantado de conhecer tanta gente nova (que ainda só conhecia do blog), bem como de rever algumas caras já conhecidas.


O resto da noite foi passado no Museu Arqueológico, assistindo a cinco comunicações de desenhadores batidos, as suas histórias e as suas viagens.


(publicado também em http://pedromacloureiro.com/)

Sem comentários:

Enviar um comentário